quarta-feira, 10 de junho de 2009

Os carros da minha vida!

Eu amo carros, muita gente já deve ter percebido isto e, ao longo dos meus quase 36 aninhos, alguns carros foram verdadeiros companheiros da nossa família.

Vou descrever abaixo o que cada um representou:


Itamaraty: era um dos carros que meu pai possuía na época do meu nascimento, um carro classudo, super confortável, mas segundo ele, era um grande beberrão que deixou boas saudades.











Fuscão Vermelho: da mesma época do Itamaraty, mas esse ficou mais tempo com a gente, inclusive viajou de Fortaleza para Brasilia e de Brasilia para Fortaleza, um guerreiro.







Brasília azul: uma gracinha, esse carro o meu pai comprou usado, uns 2 anos de uso, foi ótimo, mas passou pouco tempo na familia.









Brasilia bege: satisfeito com a performance da Brasilia azul, papai resolver comprar uma outra zero km, mau negócio, apesar de novissima essa Brasilia passou mais tempo na concessionária reparando mil problemas, do que rodando.







Belina branca: carro muito bom, lembro que adorávamos andar no porta-malas dele, fomos muito a praia nele, fizemos viagem para o interior e nós sempre no porta-malas.






Caravan bege: achava esse carro lindo, pra mim foi o carro mais bonito que meu pai teve, chegava toda orgulhosa na escola, quando minhas coleguinhas me viam chegar nesse carro que eu considerava o máximo. Super confortavel, mas extretamente beberrão






Belina verde: como eu odiei este carro. Lembro como se fosse hoje, que pra mim foi um sentimento de retrocesso, tinha vergonha de chegar num carro que já tinha o sucessor (Belina II). Que piveta metida que eu era. Mas o motivo da troca era nobre: nessa época houve uma grande seca em Fortaleza, então o meu pai ia praticamente todos os dias buscar tambores de água nas chafarizes, casas de amigos, enfim, onde houvesse agua disponivel e a fazer isso na Caravan (beberrona) estava ficando inviavel, meu pai optou pela Belina verde por economia.


Belina II verde: ai eu fiquei feliz, meu pai trocou a Belina I pela Belina II. Muito linda, essa Belina era completa, bancos aveludados em tons caramelo, volante também na cor caramelo, ela era muito confortável. Gostei muito desse carro. Ah, depois que vendemos esse carro, ele incendiou na mão do novo dono.






Belina II cinza: papai trocou a Belina II verde por esta 3 anos mais nova, normal, ele tinha gostado da outra. No entanto esta Belina cinza era "a álcool" e como diz o Rogério: "pé-de-boi", não tinha nenhum item de conforto, o volante era preto, sem borracha, de manhã esse carro não pegava, não podia pegar chuva, porque era prego na certa. E foi justamente esse carro que mais nos acompanhou, ficamos com ele de 88 a 98.




Fusca caramelo: esse foi meu presente por ter passado no vestibular. Eita carro ruim, quando chegava a 60 km, ele tremia todo. Como é caracteristico do fusca, barulhento e fedido a gasolina. Acho que fiquei um ano com ele. Nessa época, ficamos com a Belina e o fusca, que depois vendi para pagar o cursinho da minha irmã Juliana.




Gol 1.6 azul metálico: esse carro foi muito bom, três anos de uso. Vendemos a Belina cinza e com o dinheiro dei entrada neste Gol, financiei em 2 anos. Esse carro passeou bastante, eu estava no auge, baladas, praias, me diverti muito com esse carrinho. Ele era uma delicia de dirigir, só tinha um problema: qualquer chave abria a porta deste carro, até a chave da mesa do escritorio.





Ka GL azul: meu primeiro carro zero. Estava mais exigente, queria um carro com ar-condicionado.Terminado o financiamento do Gol, entrei direto nesse carrinho, tão moderno, tão lindinho, fiquei apaixonada e encarei um financiamento de 4 anos. Nos dois primeiros anos foi muito bom, mas a partir do 3o. ano, foram só gastos, muitos gastos. Esse tadinho passou por momentos de muita tristeza, doença do meu pai, relacionamento conturbado. Ficou no passado




Corsa Classic preto: nessa época meu foco era um Siena, mas achei caro, então optei pelo Corsa, foi uma excelente aquisição. Ah, estava um pouco mais exigente, queria além do ar-condicionado, direção hidráulica. Esse carro era tão macio, muito bom de dirigir. Foi nessa época que conheci o Rogério. Passeamos muito neste carro, finais de semana românticos nas praias do Ceará, Coco-bambu, Delitália. Que saudade. Foi no Corsa que viemos de Fortaleza para Sampa, linda viagem pela BR-101.



Honda Fit prata: nosso atual carrinho. Eu, mais exigente ainda, agora queria além do ar-condicionado, direção hidráulica, um carro com câmbio automático. Inicialmente pensávamos num Corolla antigo, mas surgiu a oportunidade de trocar o Corsa pelo Honda Fit. Que maravilha, o melhor carro que já possuí. Direção elétrica, o conforto de dirigir com cambio automático, tenho prazer de dirigir esse carro tão gostoso nesse caótico transito de São Paulo. Esse carro é nosso xodó.





5 comentários:

Rogerio Queiroz disse...

Acho que vc tb precisa escrever um livro.

Rogerio Queiroz disse...

Pois é minha linda, um dia teremos nosso anjinho, enquanto isso, vamos blogando... hehehe

Mizuca disse...

Muito bom, me diverti muito. :)

Anderson disse...

eu ainda to no belina II ha ha

JCesarrh disse...

Desculpe incomodar, mais estou restaurando uma brasilia beje como a foto acima, e gostaria de saber se vc tem informações de como foi feito pra colocar a calota naquela roda, pois era bem assim que eu gostaria de fazer...

Grato desde já...

Postar um comentário

 
Copyright 2009 Rosanidades. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Blogger Showcase