sexta-feira, 4 de março de 2011

Chore ao assistir…

Ontem a noite, a Márcia e o Marcelo estiveram lá em casa para comermos uma pizza juntos. A companhia e o papo foram uma delícia (além da pizza, claro) e dentre tantos assuntos, veio o assunto: filmes que mais nos fizeram chorar, falamos de vários, dos que fizeram chorar a todos em geral, os que só fizeram um dos quatro chorar, etc.

Então, agora há pouco me surgiu a ideia de escrever sobre os que mais mexeram comigo, os que mais me fizeram chorar. Vamos aos eleitos, que vão de filme de romance, passando por animação e até ficção científica:

As Pontes de Madison: filme com Meryl Streep e Clint Eastwood, que fala da historia de amor que durou uma vida inteira, apesar de ter sido concretizada por apenas 4 dias. Destaque para a cena da chuva, que é onde me acabo de chorar em 100% das vezes que assisto.








Closer (Perto Demais):  Julia Roberts, Natalie Portman, Clive Owen e Jude Law, formam um quadrilatero amoroso. Esse filme não só me faz chorar, como me deixa mal, arrasada mesmo. Acho que me identifico com a personagem da Natalie Portman, me coloco no lugar dela, é choro certo.








Inteligência Artificial: Ficção de Spielberg, com o garoto prodigio Haley Joel Osment e Jude Law. A cena da mãe do garoto o abandonando e a cena final da fantasia dele com a mãe acabam comigo.









O Campeão: Jon Voight e Rick Schroder são pai e filho. O pai, um lutador de boxe. O filho começando um relacionamento com o pai. De repente uma luta, onde o pai sagrou-se campeão, separa pai e filho novamente. Esse filme é de fazer chorar o mais frio dos corações. Destaque para o filho, chorando: “acorda, Campeão”. Ufa. Haja coração.







Up (Altas Aventuras): a historia de amor de Carl e Ellie, um casal que se apaixonou desde a infância e cuja a paixão pela aventura foi o que sempre os motivou a vida inteira, é o pano de fundo dessa animação. A cena da morte da Ellie, tão sutil e linda e a forma como ela completou o album de aventuras, me emociona de forma tão forte, que não consigo não chorar em todas as vezes que assisto.






Marley e eu: filmes com animais de estimação geralmente acabam em choro, essa é uma formula quase infalivel. O Marley é um cãozinho adotado pelos personagens de Owen Wilson e Jenifer Aniston. Ele apronta todas durante o filme, por causa de sua convivencia, faz seu dono escrever sobre ele e se torna um dos best-sellers. A cena do enterro do Marley, os desenhos das crianças, puxa vida. No cinema, o soluço era geral, todos saindo arrasados. Esse é de babar de chorar.

2 comentários:

Marcia disse...

Rô, nosso encontro foi realmente muito gostoso. Já imaginou os 4 chorando ao comentar os filmes? kkkk. Eu sou chorona mesmo (choro até assistindo desenho). E como dica, não deixe de ver "O Amor nos Tempos do Cólera" (assim podemos nos reunir de novo para comentarmos, o que acha?? kkk). bjos.

Rosana Jesuino, Sampa, Brasil disse...

Márcia!

Eu assisti ao Amor nos Tempos do Colera. Achei o filme bem escrito, emocionante e divertido ao mesmo tempo. Mas vamos comentar!

Beijos!

Postar um comentário

 
Copyright 2009 Rosanidades. Powered by Blogger
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress by Wpthemescreator
Blogger Showcase